Categorias: Curiosidades

Importantes softwares open source em 2016

Lá se foi mais um ano e entre tantas novidades tecnológicas, tanta evolução e pretensões para tudo que engloba a tecnologia, temos a cada dia uma maior e mais forte presença do software de código aberto, talvez ainda não seja tão forte o termo “Software livre, mas que o open source tornou-se referência para a evolução e crescimento tecnológico, isso é um fato. Cada vez mais as empresas que querem destacar-se com seus softwares e sistemas, apoiam-se no código aberto para incentivar os desenvolvedores e fomentar o crescimento da comunidade, com isso todos ganham, já que não precisamos ficar a reinventar a roda.

Vamos aproveitar que estamos a alguns passos do fim de 2016 e ver alguns dos softwares de código aberto que mais destacaram-se neste ano.

Mozilla Firefox

A Mozilla pode não ter se dado bem em muitos dos ramos que tentou aventurar-se, isso inclui sistemas operacionais mobiles e clientes de e-mail (Esse último teve sua queda devido a evolução dos clientes web). Até mesmo seu navegador perdeu relevância e perdeu o posto para o Google Chrome, mas uma coisa é fato, o Firefox foi por muitas décadas e ainda é um dos softwares de código aberto mais renomados e importantes do mundo, graças a iniciativa da Mozilla que tivemos muitas das evoluções na web e um representante de qualidade contra o Internet Explorer da Microsoft.

Libre Office

Uma das suítes Office mais importantes do mundo, talvez a mais conhecida após o Microsoft Office. O LibreOffice fez tudo que o OpenOffice deixou de fazer ao longo das décadas, entregando uma suíte completa, com atualizações regulares, repaginada na interface e popularizando o ODF, o formato aberto e multiplataforma para documentos, apesar de ainda ser mal recepcionado por opções proprietárias que preferem que você fique fechado em seus padrões.

Após o quase abandono do Open Office, diversos desenvolvedores da antiga suíte, provaram que era possível entregar um pacote office versátil, de código aberto e ainda por cima, gratuito para o mundo

Android

Apesar das polêmicas sobre o quanto o Android é open source, o fato é que o sistema em sua versão pura (AOSP) tem o código disponível para a comunidade, permitindo que qualquer um utilize e modifique o sistema como preferir, até mesmo sem incluir qualquer software proprietário, inclusive existe m projeto chamado Replicant que é um Android sem software proprietário.

Esse pequeno sistema mobile que utiliza o Kernel Linux passou a ser o sistema mais popular do mundo, estando em bilhões de dispositivos, que incluem smartphones, tablets, câmeras, carros, TV’s, notebooks e computadores.

O fato de ser código aberto permitiu que outros desenvolvedores e fabricantes criassem projetos diferentes sem segmentar o ecossistema da plataforma, dessa forma podemos ter experiências bem diferentes no Android – Como é o caso da MIUI, Ouya ou do Fire OS – mas ainda dividir das mesmas aplicações, jogos e assim por diante.

Blender

O Blender é sem dúvida uma aplicação de grande relevância para criadores e desenvolvedores, a complexa e completa ferramenta de 3D e animação além de muito conhecida mesmo entre os que não são do ramo, é incluída em muitos cursos de desenvolvimento e a opção de muitos estúdios.

O que poucos sabem é que o Blender foi uma revolução no ramo, antes de seu surgimento a tecnologia 3D era para poucos, já que os softwares eram caros e exigiam poderosas máquinas para sua execução. A fundação Blender entregou ao mundo um software leve, open source, gratuito e completo, com modelador, editor de vídeo, renderizador, motor de jogo e assim por diante.

Chromium

O projeto Chromium liderado pela Google é o cara por trás do popular navegador Google Chrome, mas muito além disso, o Chromium também deu vida a outros projetos como o Vivaldi, Opera, Chromium OS e assim por diante que apoiam-se no fato do Chromium ser open source.

O Chromium teve sua importância no mundo tal qual o Firefox, sendo o responsável por trazer novas tecnologias para a web e passar a colocar padrões que deram uma nova cara para o que as pessoas conheciam por aplicações web. O Chromium e o Firefox acabaram por terminar uma era em que o desenvolvedor precisava colocar dezenas de trativas para que funcionasse no navegador da Microsoft, foi inclusive o projeto Chromium que acabou por forçar a Microsoft a renovar seu navegador e entregar um produto mais antenado com a tecnologia atual.

Obviamente ainda existem muitos e muitos softwares de código aberto de extrema relevância e importância, alguns com décadas de vida, outros que surgiram a pouco tempo ou mesmo em 2016, temos certeza que ao ler essa lista você pensou em algum outro, portanto fique a vontade para usar nossos comentários e aumentar as menções honrosas.

Disqus Comments Loading...
Compartilhar

Matérias Recentes

2,8 bilhões em fraudes evitadas com avaliação de risco de e-mails

Para combater o crescimento do número de tentativas de fraudes online, que têm custado bilhões de dólares às companhias anualmente,… Leia mais

19 horas ago

Cartão de crédito Méliuz – Cashback em todas as compras – Vale a pena?

Já faz algum tempo que o Méliuz, serviço de cashback em compras, se quer saber mais sobre ele clique aqui,… Leia mais

2 dias ago

Ame Digital – A evolução da conta digital da Americanas e Submarino

O Ame nasceu como uma solução própria do grupo B2W, responsável pela Americanas, Shoptime, Submarino e Sou Barato, para fidelização… Leia mais

2 dias ago

Alfred – O aplicativo para fãs de cinema

Alfred é uma rede social para aqueles que são fãs de cinema, controlado e desenvolvido pela FlixMedia, sua proposta é… Leia mais

3 dias ago

O Que Todo Mundo Precisa Saber sobre Segurança no Linux

Muitas pessoas consideram os sistemas Linux como sendo mais seguros e, em alguns casos, até mesmo “imunes” aos principais vírus… Leia mais

2 semanas ago

C6 Bank – Vale a pena usar o rival do Nubank?

C6 Bank é a nova fintech que pretende concorrer com Inter, Nubank, Neon e outros players o mercado de banco… Leia mais

2 semanas ago

Utilizamos de cookies e outras tecnologias, para personalizarmos os conteúdos e a publicidade, oferecermos os botões sociais e analisar o tráfego