Nossa experiência com o Feren OS - Linux Centro
Feren OS
Linux

Nossa experiência com o Feren OS

Mais uma semana passou-se e desta vez a distribuição que fora colocado sobre uso no dia a dia foi a Feren OS. Na semana passada publicamos nossa experiência com o Elementary OS, agora é a vez dessa remaster do Linux Mint.

Vale lembrar que essa matéria não tem o intuito de ficar abordando quesitos técnicos, mas sim ter uma linguagem mais simples, mostrando a real experiência, o que sentimos, o que agrada e o que desagrada ao usar determinada distro em seu dia a dia, dessa forma esperamos tornar mais fácil a escolha de novos usuários.

O Feren OS é uma remasterização do Linux Mint, que por sua vez é uma derivação do Ubuntu. A proposta do Feren OS é oferecer uma visão diferente do Cinnamon, dando mais ênfase ao visual e personalização, aliado a importantes pacotes do universo Linux em uma sistema pronto para o uso. A equipe promete que em breve, o Feren OS terá um ambiente gráfico independente e único, o Zuro UI, que será um fork do Cinnamon em QT, com características importadas de outros sistema, como o menu que seguirá o padrão do slingshot (Elementary OS).

A Instalação do Feren OS

Instalar o Feren OS é muito simples, pois herda o instalador do Ubuntu que também é usado pelo Linux Mint, portanto todos os passos são simplificados em poucas etapas, praticamente automatizadas, resumindo-se em clique pós clique.

Para iniciar a instalação, escolhemos o idioma, configuramos para efetuar o download de atualizações durante a instalação e também de drivers e plugins proprietários. Em seguida o sistema pergunta se você quer fazer um dual boot com o sistema atualmente instalado, sobrescrever tudo e tornar o Feren OS o único sistema da máquina ou optar por uma instalação avançada, onde você configure partições e demais informações.

Como iria utilizar o SSD para o sistema, optei pela instalação avançada, onde graficamente e de forma rápida foi possível selecionar o SSD de 60GB para o sistema, indicando o “/” como tipo de partição e o HD convencional para a home e swap.

Feita as escolhas, o sistema iniciou a instalação, enquanto em paralelo me perguntava a minha localização, tipo do teclado, nome do computador, nome de usuário e senha e se eu gostaria de criptografar meu diretório pessoal.

Terminado aqui, a instalação continuou sozinha, terminando em poucos minutos, com a solicitação de restart da máquina.

O Primeiro uso

O primeiro boot foi rápido e em poucos instantes estávamos na tela de boas vindas do sistema, indo primeiramente para a tela de configurações já que a máquina sendo utilizada é um notebook conectado a um monitor externo, optei por desativar a tela do note e usar apenas o monitor externo.
O sistema comportou-se como esperado, não somente reconheceu o segundo monitor, como desativa o monitor interno sem problemas, memorizou as informações e passou a funcionar sem qualquer problema, inclusive a tela de bloqueio reconheceu a configuração de monitor e comportou-se conforme esperado, ao contrário do que aconteceu com o Elementary OS.

Feito isso, partimos para a exploração!

Visual

A mistura de temas que adotamos em nosso uso…

O Feren OS se esforça muito para apresentar um visual caprichado e sem falhas, no entanto para este que vos escreve, considerei os botões da barra de título extravagantes (tema feren) e o pacote de ícone escolhido (Inspire Blue), de baixa resolução, dando uma impressão de imagem borrada na maioria dos ícones.

Isso acaba sendo suprido pelos vastos pacotes de temas já instalados no sistema, o tema padrão pode ser o feren, mas eles possuem outros temas inspirados em outros sistemas, dessa forma o usuário encontrará o ferenwinstyle (inspirado no Windows), ferenmacstyle (inspirado no Mac) e até vertentes inspiradas no Chrome OS e Ubuntu.

Esses temas não são apenas cores, eles mudam consideravelmente o comportamento do sistema, o do Ubuntu coloca um dock lateral na tela do usuário, enquanto o do ChromeOS adota a barra transparente no meio e escura nas pontas do sistema da Google.

Ainda é possível efetuar um misto entre todos estes temas, na opção chamada “Mix n’ Match” aqui você pode usar as bordas de um tema, os ícones de outro, o shell e os controles de qualquer outro e assim por diante.

Ao fim, para meu uso acabei adotando o tema de ícones Paper, o shell theme do Ubuntu Touch e a decoração da janela do ferenwinstyle, caindo mais em meu agrado, mas claro que gosto é algo muito sensível e é nisso que a equipe do Feren OS tenta agradar a todos.

Um ponto que preciso destacar é o menu de configuração do sistema, enquanto o Gnome vem procurando simplificar essa tela, agrupando opções e diminuindo a quantidade de informações na tela, o Feren OS opta por exibir uma enorme quantidade de opções na tela de controle. Obviamente essas inúmeras opções são muito bem vindas, já que dão mais controle ao sistema e mais possibilidades de personalização sem a necessidade de softwares de terceiros, no entanto muitos deles poderiam estar agrupados dentro de um única função. Ainda assim, não chega a ser algo danoso ao sistema, apenas pode causar certa estranheza em primeiro momento a usuários que estejam vindo do Elementary, Ubuntu e assim por diante.

Aplicações

Aplicação para rápida instalação de vários navegadores

O Feren OS traz uma seleção reduzida de aplicativos, mas diferente da escolha das grandes distribuições Linux. Um exemplo é o navegador, enquanto todas optam pelo Firefox, sendo o Chromium a segunda opção, o Feren OS traz nativamente o Vivaldi. É uma boa oportunidade para novos usuários conhecerem esse excelente navegador, mas caso desagrade, a instalação de opções como o Chrome ou Firefox é simplificada por um software chamado Web Browser Manager, originário do Zorin OS, ele oferece com apenas um clique a instalação desses navegadores – infelizmente o Opera não está na lista.

Outros softwares interessantes estão embarcados no sistema, como o feren maintenance Tool, que nada mais é do um shell script para verificar problemas na instalação, apesar de não ser nada gráfico, sua utilização resume-se a digitar um “Y” de sim no terminal para que ele inicie, isso pode ajudar os novatos que tenham qualquer problema durante um update ou instalação de app.

Central de Aplicativos

Central de aplicativos do Feren OS

A central de aplicativos do Feren OS é uma excelente ferramenta para qualquer usuário, com uma vasta opção de softwares disponíveis, su interface é simples e objetiva, tudo dividido em categorias e com uma grande barra de busca para uma rápida localização. Na hora de instalar um aplicativo, basta um clique e a confirmação de senha para que em poucos segundos ele esteja disponível no sistema (Isso pode variar conforme sua internet).

No entanto, não é nada muito diferente do que é visto no Linux Mint, na verdade até mesmo o software de atualizações do Gnome, aquele que é capaz de mostrar informações sobre o que está sendo atualizado e dar notas e cores sobre a “qualidade” da atualização do software, está presente no Feren OS e é utilizado para tais fins.

Por fim, o Feren OS é uma remasterização interessante, com diversas modificações no Cinnamon para comportar-se como a equipe da distro considera o melhor modelo, e a proposta de ser Rolling Release, ou seja, o usuário não precisa preocupar-se com novas versões, o sistema vai atualizando-se continuamente. Porém não necessariamente é uma distribuição que apresenta grandes novidades ao público, talvez com a chegada da sua própria interface gráfica, o sistema ganhe mais vantagens. Porém ainda assim, pode ser uma interessante opção para quem quer tudo pronto, sem ter trabalho nem mesmo para mudar o tema, já que até a instalação de temas ocorre por uma “store”, resumindo-se a um ou dois cliques.

Um ponto fraco no projeto Feren OS é a equipe não ter adotado um domínio próprio, já tem algum tempo que o Feren OS vem evoluindo, porém o dominio “https://ferenos.weebly.com” é o que continua em uso, isso acaba dando uma impressão de amadorismo para o projeto e até certa desconfiança ao usuário.

Please follow and like us:
RSS
Facebook
Facebook
Twitter
YouTube