OnlyOffice Desktop - Suíte office gratuita e de código aberto - Linux Centro
onlyoffice
Escritorio Linux

OnlyOffice Desktop – Suíte office gratuita e de código aberto

No início de 2016, fizemos aqui no Linux Centro uma matéria sobre um office online recém chegado que tinha a proposta de concorrer com o Google Docs, nestes dois anos o pacote evoluiu muito, ganhou uma versão instalável para desktops e até abriu seu código, visto isso, chega a hora de apresentar a nossos leitores essa alternativa em suite office.

O pacote instalável é gratuito e de código aberto, licenciado sobre a AGPL 3, disponivel para Linux e empacotado em deb ou rpm, distribuições como o Deepin já o carregam na loja de aplicativos.

Ao contrário do que costuma-se ocorrer com instalações do LibreOffice ou WPSOffice, o OnlyOffice não divide seus módulos em diferentes ícones, tudo e centralizado em uma única aplicação, chamada  Desktop Editors, quando aberta, ela exibe as opções de criação de documentos, planilhas e apresentações.

É importante destacar que apesar de ter passado a disponibilizar uma versão desktop, o OnlyOffice nasceu para a web e isso fica claro em diversas funções, como na própria tela inicial, onde existe a opção de conectar-se com sua conta (chamada de portal) e a interface web do serviço e chamada em uma nova aba.

No entanto tudo é bem integrado, o usuário final não sabe dizer ao certo quando está em uma interface web e quando está trabalhando localmente.

Falando em interface, o OnlyOffice segue um padrão similar ao visual atual do Microsoft Office, mas ao invés das funções das barras divididas em diferentes abas de categoria, a apresentação lembra mais o que o LibreOffice vem moldando ao longo dos anos, sendo um misto dos dois mundos.

Tudo é muito clean e agradável ao olhar, mas infelizmente, nem tudo são flores e existem muitos pontos a serem levantados.

O corretor ortográfico do OnlyOffice é simplesmente horrível, existe o suporte ao português, mas muito distante da qualidade encontrada no LibreOffice ou no GoogleDocs, enquanto esses dois conseguem identificar até mesmo erros semânticos, o OnlyOffice mal consegue identificar a palavra correta a ser substituída, ele até destaca a palavra como um possível erro, mas não consegue sugerir a substituição automática, clicando com o botão direito do mouse sobre o erro, palavras totalmente distintas são sugeridas, as vezes os erros nem mesmo são identificados.

E por fim, o suporte em português está presente apenas para o documento e sua ortografia, a interface do editor não possui localização para nosso idioma.

O desempenho é agradável, mas o consumo de hardware é bem superior a alternativas como o LibreOffice ou mesmo o WPS Office, dando a memória RAM como exemplo, enquanto os dois citados costumam manter uma média de 80MB para a edição de um documento, o OnlyOffice passa facilmente dos 270MB, provavelmente ocasionado pelo seu modelo de aplicação web, funcionando de forma similar a uma aplicação construída com o Electron.

Na compatibilidade de arquivos, o OnlyOffice mostra-se excelente para trabalhar com os formatos proprietários da Microsoft (docx, pptx, etc), mas precário com formatos abertos. Na verdade a própria empresa por trás do OnlyOffice deixa claro que a plataforma nasceu com foco no formato proprietário da Microsoft, para quem tem muito convívio entre usuários que usam o MSOffice, o OnlyOffice pode ser uma boa opção para evitar problemas de abrir um arquivo e nao ter o visual esperado. Para quem dá preferência para o formato aberto ODT, ODP e assim por diante, o OnlyOffice não é uma alternativa agradável.

Tendo isso em vista, você pode instalar o OnlyOffice ao lado de seu pacote office atual e decidir se ele atende às suas expectativas, para isso, clique no botão que está no topo de matéria, escolha o pacote destinado a sua distribuição e faça a instalação.