Categorias: Linux

O Que Todo Mundo Precisa Saber sobre Segurança no Linux

Muitas pessoas consideram os sistemas Linux como sendo mais seguros e, em alguns casos, até mesmo “imunes” aos principais vírus e ataques de hackers. Embora seja verdade que os sistemas Linux tenham certas vantagens em termos de segurança, há muitos mitos em volta desses sistemas operacionais.

Nesse artigo, você vai aprender algumas informações e desmistificações sobre questões de segurança desses sistemas.

Os principais mitos sobre a segurança do Linux

Quando falamos sobre questões de segurança dos sistemas Linux, há muitos mitos, mentiras (ou meias verdades) e desinformações – e, talvez, a principal dessas desinformações seja a de que sistemas Linux são “blindados” contra vírus e várias ameaças.

Quando alguém cria um malware (geralmente, um vírus), a intenção é que esse malware seja capaz de infectar o maior número possível de máquinas. Como a maioria dos usuários de PC faz utilização de sistemas Windows, então é bastante lógico que a maioria dos vírus seja criada especificamente para esses sistemas.

Então, em números absolutos, há mais vírus voltados para ambientes de Windows do que Linux. Mas também há vírus voltados para a arquitetura Linux e MacOSX.

Os dois sistemas, em geral, melhoraram muito seus recursos de defesa nos anos recentes. A maioria dos vírus, agora, se dirige mais aos sistemas de dispositivos móveis do que aos sistemas usados em um PC.

Malwares voltados para sistemas Linux

Você pode não saber, mas há malwares voltados especificamente para o Linux, como o HiddenWasp, descoberto esse ano. Ele tem como alvo os sistemas de arquitetura Linux e é extremamente difícil de ser detectado.

Esse malware usa códigos do worm Mirai e do rootkit Azazel, permitindo ao hacker o controle total sobre a máquina infectada e, mesmo depois de ser removido, continua oferecendo ao hacker a capacidade de controle sobre o dispositivo (por meio de uma conta sftp). Dá para citar várias outras ameaças voltadas aos usuários de sistemas Linux.

Além desses riscos específicos, vale a pena dizer que alguns dos vírus mais comuns em sistemas Windows também são capazes de infectar, agir e danificar sistemas Linux, como o backdoor Troj/JavaDI-NJ, que atinge os dois sistemas operacionais.

Além disso, os servidores com sistemas Linux costumam ser usados ​​para abrigar vírus (malware, em geral) criados para sistemas Windows. Quando você clica em um link infectado, a probabilidade é que ele direcione você para um servidor Linux.

Assim, usar um sistema não te torna totalmente imune às ameaças que são “exclusivas” de outros sistemas. Se você usa o Linux, seu cuidado deve ser tão grande quanto se você usasse o Windows, ou qualquer outro sistema.

Nenhum sistema é invulnerável

Nenhum sistema operacional é blindado e invulnerável e todos eles possuem especificidades que oferecem vulnerabilidades de segurança. Aliás, nenhum sistema pode ser totalmente seguro por um “simples” fator: o elemento humano envolvido na equação.

Um usuário descuidado pode sofrer danos usando um sistema Linux, porque os mesmos e-mails infectados que podem ser acessados em um ambiente Windows também podem ser abertos em um sistema Linux, infectando a máquina e roubando dados pessoais do usuário.

O próprio Red Hat retirou o título de “isento de vírus” do sistema Fedora Linux. Isso não significa que o Fedora (e qualquer outro sistema Linux) não seja seguro, mas que as ameaças existem e que o usuário precisa tomar cuidado, como em qualquer outro sistema.

Se a maioria dos computadores pessoais não utiliza sistemas Linux, esse fator se inverte em termos de servidores: aproximadamente 40% deles operam com sistemas Linux.

Assim, esses sistemas são tão visados quanto o Windows, e os aprimoramentos de segurança precisam ser constantes. Se esses sistemas fossem perfeitamente seguros, essas atualizações frequentes nem seriam necessárias.

Algumas dicas de segurança

Há várias medidas que são capazes de diminuir drasticamente as vulnerabilidades do seu dispositivo, independente do sistema que você usa. Para usuários de sistemas Linux, em específico, é bom conferir essa lista com várias dicas úteis de segurança.

Manter um bom firewall e um antivírus de renome (além de fazer constantemente as atualizações de segurança do sistema) também é outra ótima dica. Além disso, vale a pena usar uma VPN (baixe um aqui). Tomar cuidado com e-mails e links suspeitos e com o que você instala na máquina é outra coisa fundamental, bem como manter senhas pessoais fortes e protegidas.O melhor mecanismo de defesa para o seu sistema é você e os comportamentos que você decide tomar, online e offline.

Disqus Comments Loading...
Compartilhar

Matérias Recentes

Cartão de crédito Méliuz – Cashback em todas as compras – Vale a pena?

Já faz algum tempo que o Méliuz, serviço de cashback em compras, se quer saber mais sobre ele clique aqui,… Leia mais

22 horas ago

Ame Digital – A evolução da conta digital da Americanas e Submarino

O Ame nasceu como uma solução própria do grupo B2W, responsável pela Americanas, Shoptime, Submarino e Sou Barato, para fidelização… Leia mais

1 dia ago

Alfred – O aplicativo para fãs de cinema

Alfred é uma rede social para aqueles que são fãs de cinema, controlado e desenvolvido pela FlixMedia, sua proposta é… Leia mais

2 dias ago

C6 Bank – Vale a pena usar o rival do Nubank?

C6 Bank é a nova fintech que pretende concorrer com Inter, Nubank, Neon e outros players o mercado de banco… Leia mais

2 semanas ago

A Internet das Coisas vai revolucionar o cotidiano

Primeiramente vamos deixar claro o que é a IoT, ou Internet das Coisas. Trata-se de um conceito sobre objetos do… Leia mais

3 semanas ago

Sofisa Direto restringe boleto na conta digital

Recentemente uma decisão da Sofisa, tornou o Sofisa Direto um pouco menos atraente para alguns usuários. Para quem ainda não… Leia mais

1 mês ago

Utilizamos de cookies e outras tecnologias, para personalizarmos os conteúdos e a publicidade, oferecermos os botões sociais e analisar o tráfego