Mozilla e Oath entram em briga judicial por causa do Yahoo - Linux Centro
mozilla
News

Mozilla e Oath entram em briga judicial por causa do Yahoo

Até 2014, vender o motor de buscas padrão do Firefox era a maior fonte de renda da Mozilla, por muitos anos a fundação viveu quase que exclusivamente com o contrato que tinha com a Google. Mas após a gigante de Mountain View dominar o segmento de navegadores com o Google Chrome, ela não considerou mais vantajoso a quantia paga para a Mozilla, em troca de ter o Google como mecanismo de busca no navegador.

Nesse cenário a Mozilla acabou fechando acordo com o Yahoo, contrato este que tem vigência até 2019. Mas a fundação ficou mais precavida e não somente procurou diversificar um pouco mais sua rentabilidade, incluindo o sistema publicitário do speed dial, que tal como o Opera, oferece sugestões de sites para determinado público, como também adicionou diversas regras no contrato com a Yahoo.

Uma dessas regras era que caso a Yahoo fosse vendida, a Mozilla teria o direito de quebrar o acordo e deixar de usar o Yahoo por não estar de acordo com as diretrizes da nova empresa, porém a Yahoo teria que continuar firmando o pagamento anual de 375 milhões de dólares, até o fim do contrato, funcionando como uma multa.

E foi exatamente isso que aconteceu, a Mozilla deixou de usar o Yahoo como buscador padrão e devolveu o Google como opção, mesmo não tendo um novo acordo com a empresa da Alphabet. O argumento da Mozilla, conforme relata o Recode, é que a fundação não está de acordo com o grupo Oath, propriedade da Verizon, que agora é dona do grupo Yahoo.

Agora as empresas estão em uma briga judicial, cada uma das partes alegando quebra contratual, sendo que a Mozilla não somente aponta a cláusula do contrato, como diz que a Yahoo está quebrando o contrato por não cumprir com esta cláusula e seguir com os pagamentos.