Avast prevê primeiros ciberataques baseados em Inteligência Artificial para 2018 - Linux Centro
ciberataques
News

Avast prevê primeiros ciberataques baseados em Inteligência Artificial para 2018

De acordo com um novo relatório de especialistas em segurança da Avast, líder global em produtos de segurança digital, a combinação de novos e tradicionais ciberataques vão dominar o cenário de ameaças cibernéticas em 2018, incluindo os primeiros ciberataques com o uso de inteligência artificial. Além disso, haverá um aumento de ataques em massa nos serviços de Blockchain. O relatório também apontou que um número maior de ataques sofisticados em cadeias de fornecimento deverão emergir, bem como um crescimento de malware sem arquivo (fiteless), brechas em dados e ameaças a dispositivos móveis, como Trojans bancários.

“A crescente disponibilidade de frameworks de aprendizado de máquina com códigos abertos, somada à queda significativa do preço de hardwares poderosos, deverá gerar novas oportunidades para o uso de aprendizado de máquina com o objetivo de driblar os algoritmos das empresas de segurança”, disse Ondrej Vlcek, CTO & EVP da Avast. “Nossa expectativa é que os cibercriminosos não apenas vão lançar ataques de malware, mas realizarão campanhas sofisticadas de phishing”.

Uma mudança nos vetores de ataque

O Laboratório de Ameaças da Avast também prevê que muitos ataques observados em 2017 vão continuar ameaçando as empresas, os dados pessoais e a privacidade dos usuários, mirando em PCs, smartphones e dispositivos de Internet das Coisas (IoT). Os especialistas da Avast preveem uma mudança nos vetores dos ataques para 2018, com ameaças às cadeias de fornecimento tornando-se mainstream e as vulnerabilidades da chave RSA sendo potencialmente exploradas para roubar dados e injetar cargas maliciosas em dados assinados.

As razões dos cibercriminosos vão oscilar

Conforme o relatório, além do uso crescente de fiteless, a Avast prevê que os cibercriminosos utilizarão o ransomware como uma arma regular e mais agressiva para empregar em malware de mineração de criptomoedas e nos ataques a serviços de Blockchain à medida que o seu uso se espalha. A Avast estima ainda que as ameaças a malware de mineração e os golpes voltados às moedas digitais vão aumentar, com o crescimento da popularidade das criptomoedas.  

Dispositivos móveis continuarão sendo atrativos para os cibercriminosos

Quando o assunto é a segurança dos dispositivos móveis, os downloaders, rooters e aplicativos falsos foram as maiores ameaças para os smartphones dos usuários em 2017. A Avast prevê que haverá um grande aumento de app fraudulento, bem como um crescimento de trojans bancários e ransomware em 2018.

Medidas e preucações

Para manter sua segurança sempre é recomendável não clicar em links suspeitos, conferir os remetentes de seus e-mails, avaliar os aplicativos que pretende instalar, olhar o número de instalações e suas avaliações.

No entanto uma solução automatizada pode dar uma camada a mais de segurança para seus bons hábitos e escapar de ciberataques. Para Linux existem opções de antivirus como o Avast, Eset, Kaspersky, ClamAV e BitDefender. Já no Android uma grande quantidade de soluções estão presentes, desde as chinesas como a Qihoo 360, como as populares Avast, Kaspersky, Avira, Norton, Panda e assim por diante.

A utilização de firewall e algumas regras de limitação também podem ser táticas bem empregadas para os que possuem maior dominio no assunto.

No Android, você ainda pode optar pela Linux Centro Store que oferece um mecanismo de varredura, mantido em 4 etapas, o primeiro é a varredura por diferentes antivirus (Avast, AVG, Bitdefender, Zoner, Sophos, Norton, McAfee), passando no primeiro batalhão de testes, o aplicativo é posto em quarentena onde novas varreduras aleatórias ocorrem, na terceira etapa é avaliada a assinatura digital do desenvolvedor e se corresponde a mesma utilizada em outras lojas de apps, por fim o aplicativo é posto por uma varredura contra malwares com o AptoideGuard.

Fonte: Avast Imprensa