Ubuntu pode vir com pacotes Snap na próxima LTS - Linux Centro
News

Ubuntu pode vir com pacotes Snap na próxima LTS

De certa forma o formato snap já é um sucesso, claro que outros também ganharam muita força no último ano, como o flatpak que também já é um padrão de algumas distribuições e o AppImage que tornou-se comum principalmente em aplicações construídas sobre o framework Electron.

A considerável rápida ascensão desses pacotes deve-se a praticidade de seu uso, eles estão simplificando o desenvolvimento para Linux, permitindo que um único empacotamento funcione em todas as distribuições, dessa forma o desenvolvedor precisa preocupar com o desenvolvimento para o Linux e não para determinada distribuição e apesar de cada empacotamento estar virando o oficial de determinada distribuição, praticamente todas aceitam os três formatos citados.

Porém o Snap é a grande aposta da Canonical devido a sua compatibilidade com o Ubuntu Desktop, o Ubuntu para IOT (Internet das coisas) e também oferecia compatibilidade com o Ubuntu Phone, mas esse foi descontinuado.

Tentando incentivar ainda mais o uso desse pacote, a Canonical cogita já na próxima LTS, 18.04, entregar algumas aplicações embarcadas empacotadas no snap. Isso já é uma realidade na 17.10, mas essa é uma versão intermediária usada para testes, colocar em uma LTS é um passo muito maior, visto que essas são as versões usadas por empresas e ambientes de trabalho, além de costumarem ser o ponto de referência para os desenvolvedores.

Steve Langasek, um dos desenvolvedores do Ubuntu, aponta que isso é apenas uma intenção, ainda não é uma certeza, visto que para adotar este padrão em uma LTS, antes é preciso garantir a qualidade e integridade do empacotamento.

Vale lembrar que com o Snap o Ubuntu aproxima-se mais do modelo visto em sistemas como Android ou Windows, onde as atualizações das aplicações são diretamente feitas pelos uploads dos desenvolvedores, estando a empresa responsável pelo sistema operacional apenas mantendo a loja de aplicativos e seus padrões de qualidade e segurança. Atualmente as distribuições Linux tendem a manter um grande controle de seus repositórios, desta forma, não basta simplesmente o desenvolvedor liberar uma nova versão de seu software, ele precisa passar por um crível da distribuição para ser incluído no repositório oficial, dependendo das dependências e relações, o software não é incluso no repositório de uma LTS, para o caso do Ubuntu.

O caminho hoje para os desenvolvedores poderem liberar em tempo ágil seus softwares, sem terem que distribuir pacotes debs para download é a PPA, esses são repositórios não oficiais mantidos pela infraestrutura da Canonical, seu funcionamento é um misto do que conhecemos de loja de aplicativos e dos repositórios tradicionais das distros Linux, o desenvolvedor tem autonomia para rápida distribuição das atualizações de seu software, apenas fazendo o upload para a sua conta/repositório do launchpad, porém o usuário precisa adicionar o endereço de seu repositório no sistema para receber essas atualizações.

Você acha que a Canonical deve apostar definitivamente no Snap e usar aplicações nativas do sistema neste formato, ou acredita que ainda precisa de maior lapidação antes de entrar nessa realidade?