Categorias: News

Microsoft agora é mais valiosa que o Google

Pela primeira vez em quase 6 anos a Microsoft passou a Google em valor de mercado e tornou-se a terceira empresa mais valiosa do mundo, avaliada em US$ 753 bilhões de dólares, atrás da Apple que vale atualmente US$ 952 bilhões de dólares e a Amazon que tem valor estimado em US$ 782 bilhões de dólares.

O mercado aposta que essa tomada de posição da Microsoft é temporária e com o fechamento do próximo trimestre, a Google que vale atualmente US$ 739 bilhões de dólares, retome a terceira posição.

No entanto esse avanço da Microsoft depois de 6 anos, reflete as ações tomada sor Satya Nadella desde que assumiu o lugar de Steve Balmer, 4 anos atrás, o CEO fez com que as ações da Microsoft subissem de forma constante, direcionando a empresa para uma aposta maior na plataforma cloud (Azure) e desenvolvimento de inteligência artificial, além de tornar-se mais aberta para parcerias e trabalhar junto com quem antes considerava como rival, como o Linux.

Entre as decisões polêmicas de Nadella temos a saída da Microsoft do mundo mobile, deixando de apostar em seu próprio sistema ou hardware e passando a desenvolver soluções para os sistemas das concorrentes, como o IOS e Android, desde então vimos a chegada, pela primeira vez na história, do navegador proprietário da Microsoft em um sistema que não seu, além de uma aposta alta na Cortana e integração do Android com o Windows 10, através do launcher que a empresa desenvolve para o sistema mobile da Google.

E o mais importante de todas as decisões tomadas por Nadella nos últimos 4 anos, vão além da questão da empresa ter tomado a terceira posição do ranking, pois mesmo esperando-se que a Google volte a pegar a posição, a Microsoft hoje das empresas deste ranking é a que tem a sua receita melhor dividida. Enquanto a Google tem 90% de sua receita em publicidade, a Apple tem 60% de sua receita na venda de Iphones e a Amazon tem 60% de sua receita provinda das vendas de seu marketplace, a Microsoft tem uma divisão quase igualitária, sendo 30% provinda da sua divisão Xbox, 30% do Azure e 30% do Office.

Essa divisão de receita também deixa claro que a Microsoft tem enfrentado o problema de relevância para o consumidor final, visto que suas principais marcas para o usuário final, tais como o Bing e Windows representam, juntas, apenas 10% da receita da empresa.

A Microsoft está com suas ações perto de de passar os US$ 100 dólares e estima-se que com a aposta na cloud, a empresa alcançará o valor de mercado de US$ 1 trilhão de dólares, ao mesmo tempo, especula-se que assim como aconteceu com a IBM, a Microsoft acabe tornando-se uma empresa B2B (Bussiness to Bussiness) e perca o foco no usuário final.

Disqus Comments Loading...
Compartilhar

Matérias Recentes

Zorin OS – Uma bela distribuição Linux que você deveria testar

O Zorin OS é uma distribuição linux já madura, podemos assim dizer, uma vez que completará agora no dia 01… Leia mais

22 horas ago

NVIDIA leva CUDA à arquitetura ARM – Supercomputação de exoescala

A NVIDIA anuncia suporte para CPUs ARM, oferecendo ao setor de computação de alto desempenho um novo caminho para a… Leia mais

2 dias ago

Fone de ouvido Sony MDR-EX15AP – Vale a pena?

Fones de ouvido são itens que procuramos com frequência, mas são tantas as opções e preços que sempre estamos na… Leia mais

2 dias ago

Base notebook refrigeradora NBC50 da C3Tech – Vale a pena?

Para quem utiliza notebook em sua dia a dia, uma base é bem vinda para coloca-lo em uma posição adequada… Leia mais

3 dias ago

Kemp Technologies é selecionada parceira Dell EMC

A Kemp Technologies, anunciou sua validação como parceira Dell EMC. A Kemp vai acelerar a distribuição de implementações da plataforma… Leia mais

6 dias ago

Sensor biométrico da HID é o primeiro a ter todos os requisitos de segurança da Colombia

A HID Global divulgou que o modelo de sensor multiespectral Lumidigm® V421-NC-01, recebeu no início de 2019 a homologação do… Leia mais

6 dias ago

Utilizamos de cookies e outras tecnologias, para personalizarmos os conteúdos e a publicidade, oferecermos os botões sociais e analisar o tráfego