Categorias: News

Google explica o processo de privacidade para terceiros acessarem o Gmail

A Google defendeu em uma carta destinada aos senadores norte-americanos, sua politica de privacidade relacionada a terceiros. A polêmica há havia surgido quando algumas semanas atrás, quando o Wall Street Journal informou que os desenvolvedores de software analisam centenas de milhões de e-mails de usuários do Gmail que se inscreveram em serviços baseados em e-mail, como ferramentas de itinerário de viagem.

Segundo a Google, os desenvolvedores podem sim compartilhar dados com terceiros, desde que sejam transparentes com o usuário, como apontado por Susan Molinari, vice-presidente de políticas públicas e assuntos governamentais para as Américas do Google.

Molinari ainda ressalta que todos e quaisquer aplicativos que peçam acesso a conta de e-mail dos usuários, são obrigados a evidenciar suas políticas de privacidade em uma página que evidencia ao usuário todas as permissões que a aplicação está pedindo, de forma que o usuário possa revisar e decidir se deseja ou não conceder o acesso.

Na carta ainda é esclarecido que a gigante de Mountain View mantêm um processo de remoção para aplicativos que não representam corretamente ou não são transparentes sobre como os dados pessoais são usados. O Google diz que é capaz de suspender esses aplicativos na “maioria dos casos” antes de poder acessar os dados. No entanto, não está claro quantos aplicativos mal-intencionados foram removidos.

Por fim, a Google ressalta que o usuário não tem apenas o controle de revisar e dar ou não o acesso aos aplicativos de terceiros, como pode a qualquer momento, remover um aplicativo que possua acesso a sua conta.

O assunto surge em um momento que a discussão de privacidade tem aumentado em todo o mundo, com leis como a GDPR (europeia) e LGPD (brasileira) recém aprovadas. Durante este período, a própria Google acabou decidindo deixar de usar o conteúdo do Gmail como conteúdo para gerar publicidade, declarando que agora os anúncios que surgem no Gmail gratuito é com base em outros dados de navegação e não mais os e-mails.

O Comitê de Comércio do Senado está agendado para questionar Google, Amazon ( AMZN ) , Apple ( AAPL ) , AT & T ( T ) , Charter Communications ( CHTR ) e Twitter ( TWTR ) na quarta-feira, 26 de setembro, sobre salvaguardas para privacidade de dados do consumidor.

Disqus Comments Loading...
Compartilhar

Matérias Recentes

2,8 bilhões em fraudes evitadas com avaliação de risco de e-mails

Para combater o crescimento do número de tentativas de fraudes online, que têm custado bilhões de dólares às companhias anualmente,… Leia mais

2 dias ago

Cartão de crédito Méliuz – Cashback em todas as compras – Vale a pena?

Já faz algum tempo que o Méliuz, serviço de cashback em compras, se quer saber mais sobre ele clique aqui,… Leia mais

3 dias ago

Ame Digital – A evolução da conta digital da Americanas e Submarino

O Ame nasceu como uma solução própria do grupo B2W, responsável pela Americanas, Shoptime, Submarino e Sou Barato, para fidelização… Leia mais

4 dias ago

Alfred – O aplicativo para fãs de cinema

Alfred é uma rede social para aqueles que são fãs de cinema, controlado e desenvolvido pela FlixMedia, sua proposta é… Leia mais

5 dias ago

O Que Todo Mundo Precisa Saber sobre Segurança no Linux

Muitas pessoas consideram os sistemas Linux como sendo mais seguros e, em alguns casos, até mesmo “imunes” aos principais vírus… Leia mais

2 semanas ago

C6 Bank – Vale a pena usar o rival do Nubank?

C6 Bank é a nova fintech que pretende concorrer com Inter, Nubank, Neon e outros players o mercado de banco… Leia mais

2 semanas ago

Utilizamos de cookies e outras tecnologias, para personalizarmos os conteúdos e a publicidade, oferecermos os botões sociais e analisar o tráfego