Categorias: News

Hulu – Disney terá o controle total do serviço de streaming

Em um novo movimento, a Disney prepara-se para tornar única proprietária do serviço de streaming Hulu.

Para quem não conhece, o Hulu é um dos concorrentes em potencial para a Netflix, sendo uma joint-venture da Comcast, Disney e Fox. O serviço possui 25 milhões e apresentou uma receita de US$ 1,5 bilhões de dólares em 2018. Porém estes números o colocam bem atrás da Netflix, que até ano passado tinha 137 milhões de usuários e do Amazon Prime, que possui atualmente, 100 milhões de assinantes.

Após a Disney ter adquirido a Fox, passou a ser sócia majoritária do Hulu, agora, em um acordo com a Comcast, todas as ações serão vendidas para a Disney, até 2024. Este tipo de contrato, denomina-se “put/call” e não prevê valores iniciais, apenas que a venda ocorrerá até o final do período estipulado, uma forma de impedir que outros interessados efetuem a compra, antes da empresa interessada e que haja tempo para as envolvidas organizarem-se.

A transação também é de interesse da Comcast, que tem movimentado-se para criar seu próprio serviço de streaming e o contrato feito, retira a exclusividade de seu conteúdo, desta forma a empresa pretende levar conteúdos de suas subsidiárias como a NBC Universal e DreamWorks para uma plataforma própria (Apesar de não termos informações oficiais de como ficará o conteúdo da Comcast no Hulu, após a aquisição definitiva por parte da Disney, é totalmente cabível especular que ele será retirado e oferecido de forma exclusiva na plataforma da própria Comcast).

Interface Hulu 2019 como parte da revitalização da plataforma
Reprodução Imagem: cordcuttersnews.com

Para a Disney este é outro movimento importante, após a aquisição da Fox, visto que a empresa enfrentava um dilema com as produções adultas que estão em seu portfólio e aumentaram com a chegada do Fx para a família do Mickey Mouse, já é de conhecimento que o serviço Disney +, manterá conteúdo para família, envolvendo marcas como Marvel, Pixar, Disney Channel e filmes e animações da própria Disney, o que deixava sem casa as produções da Fox e FX (Apesar da Fox já possuir um serviço de streaming, sem informações sobre seu futuro).

O mais provável é que os próximos movimentos da Disney, seja focar-se em duas plataformas distintas, o Hulu e Disney +, sendo o primeiro totalmente focado em produções de classificação indicativa 18+. E visto o vasto império televisivo e cinematográfico da Disney, não é muito difícil de imaginar que conteúdo não faltará para as plataformas. A pergunta que fica é como será a briga entre Disney, Netflix e Amazon, os três players que possuem maior relevância neste mercado.

Fonte: The Verge

Disqus Comments Loading...
Compartilhar

Matérias Recentes

O primeiro notebook com GPU Quadro RTX 6000

SANTA CLARA, Calif., 5 de setembro de 2019 —A NVIDIA e a ASUS hoje anunciaram que as GPU Quadro RTX™ 6000 alimentarão o… Leia mais

11 minutos ago

Gears POP! – Vale a pena o jogo da Microsoft para Android e IOS?

Recentemente Xbox Game Studios, antiga Microsoft Studios, divisão de jogos da Microsoft, liberou o “Gears POP!” um game para Android… Leia mais

1 semana ago

GCam – Use o Google Camera em seu Xiaomi Pocophone F1

A Google Câmera, ou GCam, como ficou conhecida é atualmente uma dos melhores aplicativos para câmeras do mercado. (mais…) Leia mais

2 semanas ago

Vivaldi – Navegador chega a versão 2.7 com melhorias

Amanhã, 21 de agosto de 2019, uma quarta-feira, os usuários terão a sua disposição a versão 2.7 estável do navegador… Leia mais

2 semanas ago

Firefox Preview – O novo navegador para Android

Alguns não sabem, mas a Mozilla tem em seu planejamento uma total reformulação do seu navegador para Android, para seguir… Leia mais

3 semanas ago

2,8 bilhões em fraudes evitadas com avaliação de risco de e-mails

Para combater o crescimento do número de tentativas de fraudes online, que têm custado bilhões de dólares às companhias anualmente,… Leia mais

3 semanas ago

Utilizamos de cookies e outras tecnologias, para personalizarmos os conteúdos e a publicidade, oferecermos os botões sociais e analisar o tráfego